Não existe almoço grátis no Setor Florestal

Saudações Florestais !

Alguns meses atrás, Rafal entrevistou Dr. Izlar (CV aqui), Professor e Diretor do Center for Forest Business da Universidade da Georgia – UGA (uma das referências do setor florestal nos Estados Unidos e no mundo), durante a 2017 Timberland Investment Conferences.  O título do post do Rafal já diz tudo: “There ain’t no free lunch in forestry” – Não tem almoço gratis no setor florestal.

Rafal e Dr. Izlar conversaram sobre o programa de pós graduação em negócios florestais da UGA e sobre o setor florestal no sul dos EUA. Como Brasileiro, é interessante observar o sistema de educação superior americano, mesmo sendo uma escola pública, a UGA não é de “graça”. O custo é parcialmente coberto pela população, porém o principal beneficiário – o aluno – paga boa parte. De acordo com Dr. Izlar, a pós-graduação em negócios florestais da UGA não recebe ajuda financeira da Universidade, os recursos gerados pelo evento por meio de patrocínios cobrem as taxas escolares dos alunos do curso. Dessa forma, nós temos uma ideia da importância desse curso onde as próprias empresas por espontanea vontade contribuem para que continuam formando profissionais especializados em finanças e negócios florestais.

Assim como as outras escolas localizadas no Sul dos EUA, a UGA tem a vantagem de estar localizada em uma região com as maiores produções de madeira do mundo. Além do mais, como as indústrias florestais americanas em grande maioria não são as donas das florestas, ou seja, elas compram madeira do mercado, o Sul dos EUA tem uma economia muito dinâmica. Um prato cheio para os Economistas Florestais!

Rafal e Dr. Izlar finalizam a entrevista comentando sobre um problema similar que encontramos no Brasil: o foco exagerado d alguns membros do setor florestal na parte ambiental. Dr. Izlar enfatiza a necessidade de que conservação é considerara somente se gerar algum tipo de renda. É meu amigos, conservar floresta significa manejar ela de forma responsável e gerando renda para o produtor. “There ain’t no free lunch  in forestry”.

 

Deixe uma resposta